Naruto Portugal RPG
Sê bem-vindo ao Naruto Portugal RPG! Para teres acesso completo ao conteúdo do fórum, deves fazer Login ou Registar-te.



E o ciclo da vida repete-se! As pacíficas vilas voltam a unir-se para combater um mal em comum. Vem conhecer o melhor e mais antigo role play de Naruto, totalmente em português.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 [Filler 54] - O bar misterioso. Uma proposta de trabalho!?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Dark_Akira

Administrador | Kiri
Administrador | Kiri


Sexo : Masculino
Idade : 20
Localização : Mafra
Número de Mensagens : 1524

Registo Ninja
Nome: Zehel Matsuri
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 5225
Total de Habilitações: 359

MensagemAssunto: [Filler 54] - O bar misterioso. Uma proposta de trabalho!?   Ter 16 Fev 2016 - 15:53

Zehel caminhava pelas ruas de kirigakure, misturando-se com a multidão que se movia nas suas tarefas diárias. O seu olhar focava-se num papel que trazia na sua mão com algumas indicações lá escritas. No dia anterior o Kage tinha-lhe entregue o pedaço de papel selado dizendo-lhe que no dia seguinte deveria deslocar-se até à morada indicada. Tudo tinha sido bastante misterioso deixando o shinobi bastante pensativo sobre o que poderia estar no local indicado pelo papel. Parecia um adereço perfeitamente normal, porque raios seria importante ele ir para lá, sobretudo com tanto secretismo, um papel selado que teria de entregar lá no sitio misterioso.
Avançava pela via principal de kirigakure perdido nos seus pensamentos, esperando alcançar a morada certa. Rapidamente percebeu que a via principal não era a certa, a morada apontava para o edifício central de kirigakure, onde ficava o escritório do Mizukage, porém não era na parte superior que estava o seu objectivo mas sim na zona inferior do edifício gigantesco.
Não era comum Zehel aventurar-se naquela zona da vila, pelo que não tinha ideia de onde poderia ficar a morada.

- Onde me fui meter... Uma caça à morada perdida... - suspirava o rapaz olhando em redor de modo a procurar o sitio certo.

Os seus olhos iam-se focando nos números que repousavam no topo das poucas portas que haviam na zona inferior do grande edifício central de kirigakure. Ao fundo, na porta mais longe de todas e mais escondida da vista de todos descobriu o número correspondente à morada que ele pretendia. Com cautela foi-se aproximando do local analisando os seus arredores, uma porta demasiado escondida numa curva, era estranho haver sequer tal lugar ali. Não que Zehel desconfiasse de Okashi-sama, mas decerto havia ali naquela porta algo que diferia das outras. Não parecia ser uma porta que estava a abarrotar de movimento por ser ou um registo, ou um posto de informação da vila, ou outro tipo de loja da vila, não, aquela porta estava estranhamente quieta. Aproximando-se dela pôde notar que não havia um puxador saliente no metal, a porta só poderia ser aberta do lado de dentro.

- "O que raios é isto... Que porta mais estranha..." - pensou o rapaz olhando de novo para a morada anotada para ter a certeza que estava no sitio certo.

Ao confirmar que não se havia enganado, decidiu arriscar e elevou a sua mão de modo a bater com os nós dos dedos no metal duro e negro para alertar a sua chegada. De rompante, uma pequena portinhola abriu-se revelando um par de olhos castanho que o fitaram de imediato. Assustado com a reação repentina aos batoques, o shinobi soltou um pequeno grito de susto enquanto se agarrou logo ao cabo da sua senshi no ken.

- O que queres daqui miúdo? - perguntou a voz grossa de quem guardava aquela estranha porta que só abria por dentro.

- Eh, Okashi-sama disse-me para vir a esta morada e deu-me este papel selado. - falou Zehel atropelando-se um pouco nas palavras.

A pessoa por trás da porta baixou os seus olhos para observar o papel que o rapaz erguia na sua mão,assim que viu a marca com que o papel fora selado fechou de rompante a portinhola com um barulho metálico e do lado interior mexeu na porta produzindo vários estalidos metálicos. A porta destrancava-se e abria-se para permitir a entrada do chunnin, este aventurava-se com passos cautelosos entrando na morada estranha. A guardar a porta estava uma mulher extremamente encorpada e alta, expondo os seus músculos trabalhados e duros num tank top justo. Esta roubou-lhe imediatamente o papel que Okashi-sama lhe havia dado examinando-o com cuidado.

- Porque é que o Mizukage-sama te enviou aqui? - perguntou a mulher de porte masculino.

- Esperava que tu me pudesses responder a isso... Achei que o papel fosse para ser aberto por quem estivesse nessa morada. - respondeu o kirinin algo desapontado por ter feito aquele caminho todo e ter encontrado alguém tão desinformado naquela situação quanto ele.

- Porque não abriste o papel? - perguntou a mulher fitando-o com os seus olhos castanho claro.

- Porque se fosse para eu abrir ter-me-ia sido dito para abrir. Sou um shinobi, é normal que contenha os impulsos de abrir as coisas que me dão. - ripostou logo o rapaz reforçando a ideia de que era ridículo abrir-se algo selado sem ter ordens para tal.

- Hmmm, nada mal, uma resposta bastante acertada. - afirmou a mulher sorrindo enquanto rompia o selo de modo a ter acesso ao que o papel escondia. - Vamos segue-me.

Zehel seguiu as ordens da mulher seguindo atrás dela por um corredor escuro, à medida que iam andando por este o jovem conseguia ouvir um ruído que crescia a cada passo que eles davam. Não parecia ser um ruído aleatório, parecia... Musica...



- Segue até ao fundo e vira à esquerda, vais encontrar quem é suposto encontrares na mesa encostada à parede. - falou a segurança daquele lugar agarrando com a sua mão gigante numa maçaneta de metal que fechava uma segunda porta.

A música começava a soar com muito mais sentido para os ouvidos de Zehel, Okashi-sama tinha-o enviado a um bar?
Assim que a mulher abriu a porta a luz penetrou no corredor que eles seguiam revelando o local ao chunnin. Definitivamente estava num bar, a música não colocava dúvidas, porém o local parecia bastante acolhedor. A luz suave que enchia o lugar era de cor azul, dando uma essência mística e misteriosa àquele bar, e provinha das pinturas que repousavam na parede. Ondas e salpicos de tinta emanavam o brilho azulado que preenchia o local, logo à direita do rapaz existia um balcão gigante onde uma rapariga e um rapaz tratavam das bebidas que repousavam em exposição em prateleiras organizadas e iluminadas por luz neon de cor azul também.

- Vá miúdo, mexe-te que eu tenho de fechar a porta. - reclamava a mulher dando-lhe um pequeno empurrão de incentivo.

Com o olhar curioso e espantado por existir tal local ali em kirigakure, o rapaz explorava todos os detalhes daquele "bar secreto" em que acabara de entrar. Avançando com passos lentos percorria com o olhar tudo o que o rodeava, desde as mesas redondas com toalhas azuis e os bancos acolchoados que rodeavam as mesa até aos sofás acolchoados que se encontravam encostados às paredes. do lado direito havia um palco enorme onde algumas raparigas dançavam ao ritmo da música mexida que preenchia o local. Os olhos do rapaz deleitavam-se com tudo o que o rodeava obrigando-o a mover a sua cabeça de um lado para o outro absorvendo cada centímetro do local misterioso.
Na sua distração, foi contra uma das empregadas de mesa desequilibrando-a e fazendo com que a bandeja que segurava na mão se virasse. Dois copos contendo um líquido no interior voaram do seu pouso em direção ao chão, sem pensar muito no que estava a fazer tal como Kari lhe tinha ensinado, o chunnin reagiu por impulso movendo os seus dois braços com tamanha velocidade que conseguiu apanhar os dois copos antes de chegarem a verter uma grande quantidade de líquido para o chão.

- Oh meu deus, desculpa estava distraído. - falou o rapaz colocando os dois copos de novo da bandeja da rapariga que olhava para ele estupefacta.

Todos os olhos das mesas em redor estavam sobre o rapaz e a empregada de mesa, observando-os em silencio, alguns espantados, alguns curiosos, outros interessados em perceber quem era o rapaz que ali tinha chegado. Envergonhado pela situação, Zehel pediu novamente desculpas afastando-se com velocidade da empregada de mesa. Percorreu o indicado pela segurança o mais rápido que pôde, sem que o mesmo parecesse estranho. Os olhos do rapaz procuravam desesperadamente a mesa indicada para tentar finalmente ocultar-se dos olhares que o penetravam. Acabara de chegar e já dava nas vistas.

- "Porque tenho de ser desastrado nas melhores alturas" - choramingava ele em pensamento.

Ao percorrer o local com o seu olhar incessante foi atraído para uma presença que ele reconhecera e que olhava para ele com um grande sorriso na cara. O tom de pele moreno a contrastar com o sorriso muito branco não enganavam ninguém.

- Shimimaru sensei!? - questionou Zehel surpreso por ver ali o sensey da sua equipa gennin.

- Zehel! Já à quanto tempo! Senta-te senta-te. - convidava o moreno.

- Não estava à espera de o ver aqui. - falava o chunnin bastante contente por rever Shimimaru.

- Somos dois então! - exclamava rindo-se. - Okashi-sama sabe sempre como nos surpreender não é verdade?

- Definitivamente! - exclamava Zehel ainda espantado com a presença do seu sensei.

- Conta-me como estão a correr as coisas! Andas desaparecido, desde o teu exame chunnin que desapareces-te e nunca mais te vi!

Era verdade Zehel tinha andado muito desaparecido da vila, tanto que nunca mais voltara a falar com a sua equipa nem voltara a vê-los, mas ali estava de novo reunido com o seu sensei. Inspirando fundo, o rapaz começou então a contar o que havia feito até àquele momento, por onde tinha andado, o que tinha descoberto, os poderes que tinha conseguido obter e tudo o que se tinha passado durante o tempo que não se tinham visto.
-------------------------------------------------------------------------------

- Era dele que estavas a falar? - perguntava um rapaz de cabelos grisalhos. Fitava a mulher loira que estava à sua frente com olhos interessados que possuíam um brilho vermelho-acastanhado.

- Parece ser um idiota... - ripostou uma rapariga de cabelo preto e que envergava parcialmente uma armadura típica de samurais. - Perdeu-se a contemplar o bar...

A samurai era sempre bastante directa com quem quer que fosse, sem excepção. Aquela sinceridade extrema fez com que o rapaz de cabelos cinzentos soltasse uma pequena risada.

- É de facto à primeira vista parece um trapalhão... Mas não foi isso que eu vi quando ele enfrentou aquele samurai, repararam nos instintos dele quando apanhou os copos. Aquilo não foi algo que qualquer um fizesse. Deve estar habituado desde pequeno a esquivar-se de ataques, o seu cérebro sabe como agir intuitivamente. - falava a rapariga loira de olhos azuis levantando o seu dedo pálido de modo a intensificar as suas palavras.

- Olha que se o Hakodo te ouve a falar assim tão assertivamente ainda fica com ciumes. - afirmou rindo a rapariga de cabelos pretos.

- Tens tanta piada... - reclamou a loira dando-lhe um empurrão no ombro.

-------------------------------------------------------------------------------

- Woah, tens andado bastante ocupado! - exclamava o homem bronzeado ao acabar de ouvir tudo o que Zehel tinha andado a fazer nos últimos tempos. - Até numa guerra estiveste rapaz! Meu deus não tens parado mesmo.

- Bem, pelo menos até agora. Neste momento não tenho muito que fazer, parece que é o primeiro momento em que estou finalmente sem nada para fazer e honestamente não gosto muito. Preciso de estar sempre entretido com algo para fazer, entendes? - confessava o rapaz ao seu sensei.

- Estou a ver, acho que já percebi o porque de Okashi-sama ter engendrado este encontro. Primeiro que tudo devo informar-te que este bar não está aberto para todos os shinobis, na verdade aqui é o bar dos shinobis de jounin para cima... Por isso um chunnin ter vindo aqui não é normal. - Shimimaru referia a ultima parte em voz baixa para não levantar ondas. O rapaz ainda poderia passar despercebido por ali. - Por isso talvez ele te esteja a fazer uma indirecta, entendes? - questionou piscando o olho.

- Hmmm, tornar-me jounin? Por acaso nunca tinha pensado nisso, mas parece ser interessante! - referia o rapaz excitado com a ideia de subir mais um pouco na hierarquia.

- A segunda coisa arquitectada pelo Mizukage terá sido provavelmente devida a eu ter recebido ontem a informação de que vou estar responsável por uma equipa de novos shinobis. Talvez ele queira que tu me ajudes a treiná-los, talvez como uma forma de te ocupar. Que te parece?

Zehel ponderava na oferta de Shimimaru, relembrando na sua mente a conversa que tivera sobre a vila com o Mizukage. Definitivamente seria uma grande forma de ajudar na prosperidade de Kirigakure, treinar a geração mais nova.

- Porque não? Parece-me bastante interessante treinar uns pirralhos novinhos. - afirmava o rapaz rindo.

- Então estamos combinados. Amanhã no mesmo sítio onde foi a tua apresentação. Não te atrases sim? - combinava Shimimaru com o seu antigo pupilo.

- Combinado! - exclamou o rapaz.


Última edição por Dark_Akira em Dom 13 Mar 2016 - 21:35, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
GhosTTerroR

Membro | Suna
Membro | Suna


Sexo : Masculino
Idade : 29
Localização : Porto / Coimbra
Número de Mensagens : 5162

Registo Ninja
Nome: Himura Senshou
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 2850
Total de Habilitações: 180,75

MensagemAssunto: Re: [Filler 54] - O bar misterioso. Uma proposta de trabalho!?   Qua 17 Fev 2016 - 17:54

Fiquei muito cativado a ler este filler que não sendo pequeno chega a ser viciante.
Cativou-me bastante, como já disse, e, mesmo não deixando grandes expectativas futuras, deu-me vontade de seguir a história, estando num ponto, tal como o 52, que mo permite fazê-lo sem que me sinta "perdido".
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.myspace.com/ghostterror
TaronKali

Membro | Kumo
Membro | Kumo


Sexo : Masculino
Idade : 18
Localização : Braga
Número de Mensagens : 682

Registo Ninja
Nome: Kazuki Watake
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 1750
Total de Habilitações: 69,5

MensagemAssunto: Re: [Filler 54] - O bar misterioso. Uma proposta de trabalho!?   Qua 17 Fev 2016 - 20:28

Nunca tinha lido um filler teu e devo dizer-te que adoro a tua escrita. Acho que tem o equilíbrio entre as partes de descrição e de diálogo. Tal como já foi dito em cima, apesar de parecer um texto extenso, é cativante e lê-se facilmente.

Não conheço a tua personagem, mas gosto sempre de ver a transição de um aluno a sensei. Dar continuidade à geração seguinte. Apesar de ele ter aceite a proposta do antigo sensei, falta saber o que têm planeado para ele aqueles estranhos.

Adorei! Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Dark_Akira

Administrador | Kiri
Administrador | Kiri


Sexo : Masculino
Idade : 20
Localização : Mafra
Número de Mensagens : 1524

Registo Ninja
Nome: Zehel Matsuri
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 5225
Total de Habilitações: 359

MensagemAssunto: Re: [Filler 54] - O bar misterioso. Uma proposta de trabalho!?   Qua 17 Fev 2016 - 20:51

XD obrigado pelas leituras ^^

Ahahah Jart aqueles estranhos são os espadachins da névoa ahhahaha O Zehel está pensado de modo a gamar as raiton Kiba à Amaya (a rapariga loira que aparece)

Vou ver se não decepciono nos próximos XD
Voltar ao Topo Ir em baixo
GhosTTerroR

Membro | Suna
Membro | Suna


Sexo : Masculino
Idade : 29
Localização : Porto / Coimbra
Número de Mensagens : 5162

Registo Ninja
Nome: Himura Senshou
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 2850
Total de Habilitações: 180,75

MensagemAssunto: Re: [Filler 54] - O bar misterioso. Uma proposta de trabalho!?   Qui 18 Fev 2016 - 2:39

Oh! Espadachins!? Really!? Isso traz-me memórias!! XD

:Cool!:
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.myspace.com/ghostterror
 
[Filler 54] - O bar misterioso. Uma proposta de trabalho!?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
A tua mensagem foi automaticamente gravada. Poderás recuperá-la caso aconteça algum problema
Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto Portugal RPG :: Kirigakure :: Fillers-
'); }