Naruto Portugal RPG
Sê bem-vindo ao Naruto Portugal RPG! Para teres acesso completo ao conteúdo do fórum, deves fazer Login ou Registar-te.



E o ciclo da vida repete-se! As pacíficas vilas voltam a unir-se para combater um mal em comum. Vem conhecer o melhor e mais antigo role play de Naruto, totalmente em português.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 [Filler] O "Flaming Horse"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Ozzymandias

Membro | Nukenin
Membro | Nukenin
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 60
Localização : Unknown
Número de Mensagens : 4010

Registo Ninja
Nome: Hiroshi Daisuke
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 15190
Total de Habilitações: 1029

MensagemAssunto: [Filler] O "Flaming Horse"    Sex 24 Fev 2017 - 20:25

Um grande e barulhento engarrafamento testava a paciência das celebridades em suas limusines, enquanto eram iluminados pelas milhares luzes multicores e intermitentes vindas de uma dezena de cassinos espalhados pela avenida principal considerada metro quadrado mais caro do País da Lua Crescente. Numa confusão divertida, o ruído das moedas e músicas agudas dos caça-níqueis eram sobrepujadas pelo forte grave abafado que fazia vibrar as vitrines das lojas que já há algum tempo haviam fechado pela hora avançada daquela madrugada de sábado. Prostitutas de alto nível se acotovelavam pelas calçadas à procura de companhia remunerada enquanto uma pequena multidão ansiosa aguardava numa fila desorganizada apenas uma oportunidade para entrar numa das mais badaladas casas noturnas da cidade: O Flaming Horse. O "Cavalo em Chamas" estava lotado antes mesmo de abrir suas portas, devido às milhares de reservas feitas pelos milionários que queriam uma diversão muito bem selecionada pelos hosters que filtravam os pretendentes na grande porta aveludada que dava acesso ao seu interior do imóvel. - Os senhores podem passar. - Exclamou o porteiro após receber discretamente uma nota alta oferecida por dois homens que acabavam de chegar.

Percebendo o que acabara de acontecer, os primeiros da fila começaram a sussurrar reclamações enquanto acompanhavam os dois homens ultrapassarem a pequena corda vermelha que os separava dos outros para então adentrarem no recinto. Vestidos com dois ternos negros sem gravata feitos sob medida, um bem mais velho que o outro, ambos passaram por um longo corredor que servia para dissipar o som incrivelmente alto do salão interno, e assim que ultrapassaram outra porta com isolamento acústico, os dois sentiram o choque das ondas sonoras tão intensas que fez com que suas caixas torácicas vibrassem ao som de cada grave desferido pelas inúmeras caixas de som que dividiam espaço no teto com centenas de canhões de luzes e lasers. Onde ele está? - Perguntava-se o mais velho dos dois, tentando olhar por cima de uma massa de pessoas que se misturavam com roupas exuberantes e coquetéis caros. - O que posso... Ajudar aos senhores?! - A garçonete praticamente gritou no ouvido do mais novo que aproximou da moça para lhe dizer que estavam procurando uma pessoa em particular. Um figurão que diziam que poderia eliminar/resolver qualquer problema que viesse a incomodar quem o procurava. Era um nome bastante conhecido no lugar, mas que somente poucos conseguiam ter acesso à ele.

- Verei o que posso fazer. - Concluiu a moça que, como uma verdadeira equilibrista, desviava dos dançarinos mais afoitos com sua bandeja lotada de drinks e petiscos. Urushida e Toneri logo a perderam de vista por alguns minutos, quando finalmente a mulher retornou dizendo que o procurado não poderia recebê-los. Numa expressão de pesar, o mais velho passou a mão no cabelo grisalho e segurou forte no braço da garçonete que começou a se debater. Num instante os seguranças do estabelecimento agiram e convergiram para o local da confusão, mesmo sob os protestos do mais novo que abanava as mãos tentando impedir que haja qualquer agressão, mas não adiantou. O grande punho de um dos brutamontes atingiu o mais velho que caiu e logo foi agarrado por mais dois que começavam a arrastá-lo na direção da saída de emergência. Já o segundo visitante, mais franzino, teve seu corpo carregado com muita facilidade à medida que os convidados abriam caminho com olhares críticos para os "mal-educados" que queriam a acabar com a festa. Quem são aqueles homens e o que queriam com Kazuki? - Daisuke observava toda aquela confusão do camarote, recostado ao parapeito enquanto dividia sua atenção com duas belas mulheres que insistiam em debater sobre a última novela das sete. - Com suas licenças. - Ele se despediu.

O som estridente incomodava seus ouvidos e sentidos enquanto Daisuke descia os degraus até a área comum. Cumprimentando os seguranças flagrantemente incomodados com sua presença, o Akatsuki logo entrou por um corredor à direita, passando pela cozinha quando empurrou a pesada porta que o levou até uma estreita e úmida viela, repleta por grandes caçambas de lixo e garrafas de bebidas vazias espalhadas em cada canto. -[b] Pai... Você está bem?
- Gemia o mais novo dos dois homens, amparando o outro que se escorava no chão próximo à última caixa de descarga. Não era difícil perceber que os seguranças exageraram nas pancadas com o senhor que tossia e cuspia alguns veios de sangue. Nem sei porque estou me metendo nisso. - Pensava ao se aproximar e estender a mão para auxiliar que o senhor se levantasse. - Bela confusão vocês conseguiram lá na boate. - Comentou num tom descontraído. O senhor aceitou a ajuda e se levantou, apoiando-se no outro para não voltar a cair. Só agora Daisuke conseguiu visualizar bem as características dos dois brigões que queriam estragar a diversão. Contudo, esse tipo de diversão não preocupava o nukenin que preferia uma boa briga à conversas fúteis sob o som ensurdecedor dos autofalantes. - O... O... Obrigado... - Gaguejou o mais jovem, constrangido com a proporção que a situação ganhou.

O rapaz aparentava seus vinte anos e ostentava uma barba rala sem bigode em seu rosto moreno e livre de rugas de expressão. Vestido com o que parecia ser um terno sob medida, que agora estava com pequenos rasgos nas suas costuras, ele esfregou as mãos para limpá-las da sujeira do beco e estendeu a mão direita num cumprimento nada tradicional. Esse cumprimento é feito no extremo oeste e pela cor da pele de ambos, esses homens vieram do País da Trovão. - Raciocinou muito antes que o rapaz explicasse. - Mas o que os trouxe aqui de tão longe? - Perguntou aos dois estranhos. O silêncio constrangedor continuou por alguns segundos quando enfim o senhor mais velho começou a falar. - Esse é meu filho, Toneri. E eu me chamo Urushida Iga. - Apresentou-se. A curiosidade de Daisuke aumentava a cada segundo que ficava aquele beco fétido até que o desenrolar de toda história começou a fazer sentido. Segundo Urushida, sua família e a família do Daimyo do País do Trovão sempre estiveram em pé de guerra desde os tempos de seus ancestrais... E senta que lá vem história. - Pensava o nuke, impaciente ao começar a ouvir o choramingo de algo que acontecera há cerca de cinquenta anos. - Resume logo aí, amigo. - Reclamou aos dois tristonhos decepcionados.


[/b]
CONTINUA...


Última edição por Ozzymandias em Sab 25 Fev 2017 - 0:46, editado 1 vez(es) (Razão : Sem razão especificada)
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Filler] O "Flaming Horse"
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
A tua mensagem foi automaticamente gravada. Poderás recuperá-la caso aconteça algum problema
Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto Portugal RPG :: Nukenins e Outras Vilas :: Fillers-
'); }